0

Nenhum produto no carrinho.

Consumo de alimentos congelados

RZBR120627_001_Broccoli_Field

É crescente a demanda por alimentos práticos, de preparo fácil e rápido e, ao mesmo tempo, nutritivos e saborosos. Muitos consumidores acreditam que o alimento in natura é o mais saudável além de mais barato, mas se esquecem que depois de colhidos, os vegetais passam por várias etapas de trajeto do campo até chegar ao mercado, ficando expostos a algumas condições, como por exemplo, a variação de clima.

A procura por alimentos congelados tem se fortalecido nos últimos anos, à medida que o ritmo de vida acelerado, sobretudo nos grandes centros urbanos, limita o tempo dedicado às refeições.

Apostando na praticidade e na garantia de fornecimento durante todo o ano, mesmo fora de época, vegetais congelados começam a ganhar mais espaço e, mesmo ainda havendo certa insegurança do consumidor, o segmento apresenta forte potencial de expansão no mundo todo.

Mas não há motivos para insegurança, pois os cuidados com o produto já iniciam desde a plantação, como o tipo e tempo de uso do solo, a utilização mínima e racional de produtos químicos respeitando as quantidades permitidas de acordo com a legislação vigente. O vegetal é colhido no momento exato de maturidade. Tudo acontece da mesma forma que o produto in natura.

Os vegetais são pré-selecionados no campo. A qualidade do produto in natura destinado ao congelamento é fundamental na determinação das características do produto final. Após a colheita, os vegetais são enviados diretamente para o processo de congelamento, que envolve a redução da temperatura do produto, passando antes por diversas etapas de seleção manual e mecânica, cortes, lavagens e higienização.

No procedimento não é utilizado nenhum tipo de conservante, apenas o processo de congelamento rápido, onde o vegetal é congelado em graus negativos, em poucos minutos, isso garante a preservação de sabor, textura e valor nutritivo dos alimentos, favorecendo a sua comercialização.

Sob baixas temperaturas, micro-organismos não podem crescer, as reações químicas são reduzidas e as reações metabólicas celulares ocorrem de forma bem mais lenta, garantindo a manutenção da qualidade e o prolongamento da vida de prateleira.

Como os vegetais são rapidamente congelados, as propriedades nutricionais e as qualidades da planta (cor, sabor, textura e odor) são garantidas. Assim, os vegetais congelados conservam as características de vegetais in natura por até 24 meses no freezer, se bem vedados e acondicionados.

Os vegetais congelados são atraentes também para empresas de food service, já que requerem menor espaço para armazenamento e proporcionam economia de mão de obra no preparo e padronização quanto ao tamanho e qualidade dos produtos oferecidos.

Há diversas espécies de vegetais congelados encontrados no mercado. Um deles é o brócolis, que se apresenta em floretes no tamanho ideal para a preparação de pratos e receitas.

A Rijk Zwaan, hoje, conta com a variedade de brócolis Larsson, que além de ser uma excelente opção para o mercado in natura, –apresenta grandes vantagens para a indústria de congelados, pois é um material compacto, pesado, com floretes bem curtos e uniformes, atendendo a padronização e o rendimento que a indústria procura.

Deixe um comentário