0

Nenhum produto no carrinho.

Hábitos,conceitos e novas tendências no consumo de snacks saudáveis

WhatsApp Image 2020-09-09 at 15.09.12

O que mudou?

A rotina mudou, novos hábitos de consumo nos fazem repensar como atender melhor ao novo perfil de consumidor exigente, com orçamento tendo que ser ajustado porém totalmente focado em tirar o melhor de uma alimentação saudável.

Antes mesmo da pandemia, a proposta de alimentação #eattherainbow já influenciava as redes sociais e propunha que se buscasse o máximo de combinação de cores – e com elas diferentes benefícios nutricionais – em seu prato.

Como os tomates snacks ajudam na alimentação saudável?

Extremamente versátil, o tomate nos atende com inúmeras opções de cores, formatos, sabores e texturas. Os tomates classificados como ” Snacks” de tamanho reduzido são uma opção super versátil que vão do consumo “on the go” – te acompanhando onde estiver: trabalho, casa, carro, passeio ou ainda academia- até preparos práticos e rápidos em casa.
No Brasil encontramos diversas opções de embalagens no que se refere a matéria prima, brands, mix e gramaturas atendendo aos diferentes propósitos.

A Família snack por exemplo vem com propósito de levar conveniência, praticidade, possui com responsabilidade ecológica (possui embalagem Biodegradável). Contempla a possibilidade de pelo menos 3 variedades de formatos e coloração diferenciadas.
O sucesso do conceito de snack é tão grande que redes com lojas em formatos de “Atacarejos” já buscam por embalagens com conceito similar, porém em tamanho “família” de maior gramatura, visando oferecer um benefício financeiro aqueles que já inseriram snacks vegetais como uma opção regular na alimentação diária mas com redução de lixo “mais conteúdo e menos embalagem”.

Dentre as tendências para este segmento estão:

  1. Embalagens tamanho família ( mais produto menos embalagem)
  2. Mixes incluindo diversas famílias, como na composição abaixo: pepino, tomate e mini pimentões
  3. Mixes de cores e formatos variados
  4. Embalagens utilizando materiais de fontes renováveis atendendo ao conceito do “Sistema B”

Deixe um comentário